• institutodocoracao

O frio não é tão amigo do Coração assim!

Em estudo recente publicado por médicos da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, aponta que em meses de temperaturas mais frias, as internações em hospitais públicos por infarto e insuficiência cardíaca aumento em até 30% do que em épocas mais quentes.


A pesquisa considerou todas as internações registrada de Janeiro de 2008 até Abril de 2015 em 61 Hospitais Públicos da cidade de São Paulo. Foram apurados mais de 76 mil casos de Insuficiência Cardíaca e mais de 54 mil casos de Infarto Agudo do Miocárdio.


Os dados fazem parte do Cadastro Nacional de Saúde, realizado pelo SUS - Sistema Único de Saúde. Para traçar este paralelo entre as doenças cardíacas e a temperatura, foram registrados também as temperaturas ao longo do período de estudos, dados fornecidos pela CETESB - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo.


O Cardiologista Eduardo Pesaro, médico que liderou a equipe de pesquisa, relata os principais fatores: “Provavelmente isso se dá por fenômenos múltiplos, como o frio e a qualidade de ar como principais aspectos de risco. As pessoas que estão em maior risco e que já são doentes, com pressão alta, diabetes, devem ter uma atenção especial nesse período e maior controle como tomar corretamente o remédio e medir a pressão"


Outro fator que foi identificado na pesquisa é relacionado a idade das internações, durante o inverno os casos de infarto tiveram maior incidência em pacientes acima dos 50 anos. Nas internações por insuficiência cardíaca, também teve um aumento em casos acima dos 40 anos.


“Inverno não significa só frio, mesmo porque em São Paulo ele é ameno, com temperatura média de 18 graus e variação de apenas 5 graus. Ele também significa poluição aumentada, crescimento de epidemias provocadas pelo vírus da gripe, o Influenza, além do tempo seco”, relata Pesaro.


O aumento de casos é apenas um reflexo do que o frio por causar a coração e o sistema circulatório. A baixa temperatura faz com que os vasos sanguíneos se contraírem e eleva a liberação de adrenalina, o que culmina na subida da pressão arterial. Além disso, o aumento da poluição contribui para doenças respiratórias que sobrecarregam o coração. Já o Influenza (vírus da gripe) é capaz de causar inchaço ou inflamação das coronárias, com a possibilidade de liberar as placas de colesterol nela depositadas. As placas, por sua vez, podem causar bloqueios e interromper o fluxo sanguíneo.


Se aqueça, faça exames regularmente e qualquer complicação que aparecer não hesite, procure um especialista!




33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo