Avenida José Munia - 7301

JD. Vivendas

São José do Rio Preto-SP

contato@incorriopreto.com.br
Tel: (17) 2139 8300 - (17) 3512 4300

  • Wix Facebook page
  • Soundcloud Classic
  • YouTube Classic
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page

Incor Rio Preto 

Todos os direitos reservados

Copyright© 2019

CORAÇÃO 10

O Que é Tabagismo Passivo?

Postado 19 Agosto 2013

O tabagismo passivo é definido como a inalação da fumaça de derivados do tabaco (cigarro, charuto, cigarrilhas, cachimbo e outros que produzem de fumaça) por indivíduos não-fumantes, que convivem com fumantes em ambientes fechados. A fumaça dos derivados do tabaco em ambientes fechados é denominada de poluição tabagística ambiental (PTA) e, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é a de maior importância e intensidade nestes ambientes fechados. O ar poluído contém, em média, três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono, e até cinqüenta vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que entra pela boca do fumante depois de passar pelo filtro do cigarro.

 

2- Quais são os riscos associados ao tabagismo passivo?

 

A absorção da fumaça do cigarro por aqueles que convivem em ambientes fechado com fumantes, ou seja, o tabagismo passivo, poderá causar:

- Em adultos não-fumantes: maior risco de alguma doença diretamente causada pelo tabagismo , proporcionalmente ao tempo de exposição à fumaça (um aumento do risco de câncer de pulmão e infarto do miocárdio em 30% e 24%, respectivamente), quando comparamos aos não-fumantes que não se expõem a esta fumaça proveniente dos derivados do tabaco.

- Em crianças: maior freqüência de resfriados e infecções do ouvido médio ; maior risco de doenças respiratórias como pneumonia, bronquites e exarcebação da asma.

- Em bebês: um risco cerca de 5 vezes maior de morrerem subitamente e, sem uma causa aparente, a chamada síndrome da morte súbita infantil); um maior risco de doenças pulmonares até 1 ano de idade, sendo este achado proporcional ao número de fumantes que freqüentam a casa.

- Fumantes passivos também sofrem os efeitos imediatos da poluição tabagística ambiental, tais como, irritação nos olhos, manifestações nasais, tosse, cefaléia, aumento de problemas alérgicos, principalmente das vias respiratórias e aumento dos problemas cardíacos, principalmente elevação da pressão arterial e crises de angina (dor no peito). Outros efeitos a médio e longo prazo são a redução da capacidade funcional respiratória (o quanto o pulmão é capaz de exercer a sua função), aumento do risco de ter aterosclerose (desenvolvimente de placas de gordura nas artérias) e aumento do número de infecções respiratórias em crianças.

 

3- Entenda o perigo causado pela fumaça inalada por fumante passivos:

 

Os dois componentes principais da poluição tabagística ambiental (PTA) são a fumaça inalada pelo fumante (corrente primária  e a fumaça que sai da ponta do cigarro (corrente secundária). Sendo, esta última o principal componente da PTA, pois em 96% do tempo total da queima dos derivados do tabaco ela é formada. Porém, algumas substâncias, como nicotina, monóxido de carbono, amônia, benzeno, nitrosaminas e outros carcinógenos podem ser encontradas em quantidades mais elevadas. Isto porque não são filtradas e devido ao fato de que os cigarros queimam em baixa temperatura, tornando a combustão incompleta. Em uma análise feita pelo instituto nacional do câncêr (INCA)  em 1996, em cinco marcas de cigarros comercializados no Brasil, verificou-se níveis duas 2 vezes maiores de alcatrão, 4,5 vezes maiores de nicotina e 3,7 vezes maiores de monóxido de carbono na fumaça que sai da ponta do cigarro do que na fumaça exalada pelo fumante. Os níveis de amônia na corrente secundária chegaram a ser 791 vezes superior que na corrente primária. A amônia alcaliniza a fumaça do cigarro, contribuindo assim para uma maior absorção de nicotina pelos fumantes, tornando-os mais dependentes da droga e é, também, o principal componente irritante da fumaça do tabaco .

Please reload